Hospital de Pronto Socorro

hps186[1]

Referência para atendimento das urgências e emergências de Porto Alegre, região Metropolitana,e do próprio estado. Funciona 24 horas por dia, atendendo as urgências e emergências em 17 especialidades, em especial, as vítimas de trauma.

 

O Hospital de Pronto Socorro (HPS) de Porto Alegre, inaugurado em 19 de abril de 1944, além de prestar atendimento universal e igualitário de urgência e emergência a todos que o procuram, promove o ensino e a pesquisa na área da saúde. Uma de suas características marcantes é que 30% dos seus leitos são de UTI, quando a média dos hospitais em geral, públicos ou particulares, não ultrapassa 5%, o que mostra ser este um hospital voltado e equipado para pacientes críticos.

Administrado pela Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), o HPS funciona 24 horas por dia e realiza mais de 900 atendimentos diários em diversas especialidades ambulatoriais e todas as especialidades médicas e odontológicas necessárias ao atendimento integral de pacientes politraumatizados, sendo o principal serviço de emergência do Rio Grande do Sul.

Nos seus 9.500 metros quadrados de área, o HPS foi planejado para internar todos os pacientes que procuravam a Assistência Pública Municipal, na década de 30. Aos poucos, transformou-se em referência para atendimento do Trauma e Emergências Clínicas.

Hoje, integra a rede de serviços do Sistema Único de Saúde da cidade e conta com 1.472 servidores, cuja responsabilidade se estende a 139 leitos, sendo 38 de UTI, com 360 mil atendimentos por ano, em 22 diferentes especialidades médicas, incluindo-se nessas, desde 1995, o SAMU.

Os recursos humanos envolvem enfermeiros, dentistas, psicólogos, nutricionistas, bioquímicos, assistentes sociais, administrativos, auxiliares e técnicos de enfermagem, auxiliares de manutenção, além de médicos em 17 especialidades para as quais nos dedicamos.

 

Bloco Anexo

Distribuído em sete pavimentos, com aproximadamente 4.500 m², o novo prédio, inaugurrado em 29 de janeiro de 2004, abriga atividades como o almoxarifado, farmácia, cozinha e refeitório, vestiários para funcionários e salas de aula, além de uma sala do bloco cirúrgico, a central de esterilização e o novo conjunto de geração de energia. As obras foram iniciadas em 1999, com investimento de U$ 3,3 milhões, sendo 80% financiados pelo Fundo de Desenvolvimento Financeiro para os países da Bacia do Prata – Fonplata e 20% correspondentes à contrapartida da Prefeitura.